Vamos tentar responder neste artigo a pergunta que todo ser humano faz em algum momento da vida: “Para onde vamos quando morremos?” O primeiro ponto que precisamos aceitar como verdade é que depois da morte nossa individualidade continua existindo, continuamos com nossa mesma personalidade, nossas conceitos, preconceitos, gostos, qualidades, defeitos, conhecimentos e inteligência. A morte é apenas a separação do seu corpo orgânico da sua personalidade unica que iremos chamar de Espírito.

Seu corpo composto de matéria orgânica e minerais é decomposto e retorna para o solo. Já o seu espírito se transporta para outra forma de existência em uma dimensão física invisível aos nossos olhos, sentidos e instrumentos. Neste novo ambiente seu espírito fará uso de corpo feito de fluido semimaterial chamado de periespírito. Da mesma forma que o seu corpo físico dava forma e permitir sua interação com o ambiente terreno o periespírito dará forma ao seu espírito e permitirá sua interação com a nova dimensão de existência que você se encontrará. Mas onde fica este local?

Na Terra existem diversas camadas de existência como se fossem níveis que podemos chamar de planos ou esferas. Seria como as 5 camadas atmosféricas que estudamos na escola, só que no caso das camadas espirituais são 7 níveis. Quando morremos nosso espírito vai para o nível mais compatível com nosso grau de evolução. Se na Terra temos o convívio conflituoso de espíritos de todos os graus de perfeições ou de imperfeições, do lado espiritual existe uma natural separação dos espíritos com base no seu nível de perfeição. Se isto não bastasse, ainda existe a possibilidade das pessoas (espíritos) se agruparem com base nos seus gostos, desejos, afinidades, da mesma forma que ocorre na Terra. O agrupamento destas pessoas acabam formando comunidades, povoados, vilas, pequenas e grandes cidades espalhadas pelo espaço de cada uma das sete camadas ou sete esperas habitadas por espíritos sobre a Terra.

Desta forma, depois da morte, sempre iremos viver em ambientes repletos de pessoas parecidas conosco, que possuem qualidades parecidas e defeitos parecidos com os nossos. É justamente este fato que torna determinados locais do plano espiritual melhores ou piores dependendo do ponto de vista de quem julga.

Vamos a um exemplo?

EXEMPLO 1 – Uma pessoa que passou sua vida na Terra cultivando um grande prazer por festas, badalações regadas com muito fumo, álcool, drogas. Que não se preocupava com o estudo e com o trabalho e tinha uma vida desregrada, desorganizada, descontrolada. Ao morrer esta pessoa continua sendo a mesma. Desta forma é natural que ela procure a companhia de outras pessoas (espíritos) que possuem os mesmos gostos e que moram em regiões do plano espiritual onde todos estes prazeres terrenos continuam sendo cultivados. Agora tente imaginar como seria uma cidade criada, planejada e administrada por milhares ou centenas de milhares de pessoas iguais a esta que descrevi acima. E como seria uma cidade habitada só por suicidas? Veja o que acontece com os suicidas.

EXEMPLO 2 – Agora imagine como seria uma cidade repleta de pessoas que sempre estudaram e trabalharam com o prazer de serem uteis e de fazerem as coisas bem feitas. Pessoas que tiveram uma vida organizada, regrada e que gostam de se divertir de forma saudável. Imagine uma comunidade espiritual criada por pessoas com estas características.

Então podemos afirmar que não existe céu ou inferno. Existem lugares habitados por espíritos que se reúnem naturalmente com base nas suas afinidades e níveis intelectuais e morais. Nestes lugares podem se formar comunidades ou cidades boas ou ruins para se viver depois da morte dependendo do ponto de vista de quem olha. Seria como observar as comunidades criadas no Orkut onde as pessoas se agrupam por afinidades, interesses e gostos. Existem comunidades boas, comunidades ruins, o que você acha ruim pode ser bom para o outro, o que é bom para o outro pode parecer ruim para você.

Agora podemos responder para onde você vai quando morrer. Naturalmente você vai optar por viver em um lugar cheio de pessoas semelhantes a você, que gostam das mesmas coisas e que possuem os mesmos objetivo. A questão é: Estes objetivos são para o bem ou para o mal?. São para sua evolução ou para o seu estacionamento evolutivo? Quem opta por estacionar fica estacionado e se isto gera sofrimento então vive no sofrimento. Quem opta por evoluir e melhorar sempre conta com a ajuda de pessoas mais evoluídas que sentem grande prazer em ensinar e ajudar outras pessoas e crescer espiritualmente. Quem opta por estacionar sempre conta com a companhia de quem pensa em fazer a mesma coisa.

Agora você entendeu porque tantos profetas, tantos religiosos, tantas doutrinas tentam nos convencer a sermos pessoas melhores antes da nossa morte? Pois é, se você está lendo este texto é porque ainda da tempo. Se você gostou deste assunto e deseja se aprofundar conhecendo é a vida das pessoas depois da morte recomendo a leitura do livro Nosso Lar que pode ser baixado gratuitamente em PDF clicando aqui


Recebemos a mensagem abaixo de um leitor do nosso site e vamos comentar a luz do espiritismo:

Sabe, hoje eu recebi a noticia que minha cunhada partiu, a dias fiquei sabendo do seu estado se saúde, mais achei que tudo ia se resolver, ela teve a doença de toxoplasmose,e meu irmão e eu, não conversávamos mais, desde que se casaram, pois o ciumes dela era interminável, e depois que tivemos uma discussão a 2 anos mais ou menos nunca mais nos falamos. E infelizmente ela se foi, como meu irmão disse ela foi descansar pois estava sofrendo muito, e eu fiquei aqui no computador procurando pelo google uma forma de eu me acalmar, apesar de eu ter um pouco de entendimento, ler livros espiritas, mais mesmo assim me preocupo, não sei explicar, pois não nos perdoamos em vida e eu moro longe da aonde ela vai ser sepultada, o que eu devo fazer,e to muito triste, pois ela deixou duas pequeninas, uma de 8 anos e outra de um ano, meu irmão esta desesperado…. E eu aqui longe,me ajuda pelo menos com palavras para eu tentar me confortar e me perdoar-se para com ela….

Para quem não sabe o que é Toxoplasmose clique aqui. Quem possui gato precisa tomar muito cuidado com esta doença e até mesmo avaliar se é viável ter um gato em casa.

É muito comum nos sentirmos mal quando temos algum problema não resolvido com uma pessoa e ela vem a falecer sem que desse tempo para que este problema reparado. Por isso é importante não alimentar brigas e intrigas, principalmente quando a pessoa faz parte da nossa família. Mas se não deu tempo de pedir desculpas ou de perdoar não é necessário ficar triste ou se sentir culpado.

Devemos nos lembrar que o corpo é apenas uma roupa feita de materia organica que o espirito precisa “vestir” para se manifestar nesse plano físico em que a Terra se encontra. Também podemos comparar o copo a uma máquina, um veículo que é pilotado pelo espírito temporariamente em quanto cumpre sua missão de aprendizagem na Terra. Este veículo não é eterno. Nossa missão aqui na Terra tem início, meio e fim. E o corpo é apenas um objeto orgânico que pertence a Terra.

Desta forma você não está longe do sepultamento da sua cunhada. Você está distante do sepultamento da roupa orgânica que sua cunhada utilizava em quanto cumpria missão Terrena. Agora que ela está liberta das limitações físicas e do sofrimento da doença não existem distâncias entre vocês. Agora vocês estão unidos com a velocidade que os pensamentos acontecem.

Com certeza sua cunhada é capaz de sentir a sinceridade dos teus sentimentos. Se você sente a necessidade de pedir perdão tenha certeza que ela já sabe disso e provavelmente já deu o perdão. Já se você perdoa sua cunhada mas não teve oportunidade de dizer isso não se preocupe pois ela já sabe que foi perdoada por você. A comunicação entre espiritos encarnados e desencarnados acontece a todo momento através do pensamento.

As pessoas depois que fazem a passagem desta vida para sua verdadeira vida no lado espiritual olham as desavenças que tiveram na Terra da mesma forma que um homem adulto lembra das brigas infantis que tinha quando criança na escola. Coisas que em vida se dava muita importância não tem a menor importância depois da morte. A pessoa costuma rir ou até se envergonhar das bobagens Terrenas que a fizeram ficar intrigadas com amigos e parentes. Por isso a maioria costuma perdoar. Existe ainda o caso da pessoa se sentir em dívida e então costumam se esforçar para reparar erros e injustiças que cometeram a alguém. Isso pode ser feito ainda no mundo espiritual ou em futuras encarnações.

Para concluir posso afirmar que a sua presença física diante do caixão que abriga o corpo inerte e sem utilidade não vai fazer qualquer diferença para a sua cunhada. O que importa são os teus sentimentos.

Para terminar recomendo a leitura dessa parte do livro dos espíritos a todos que perderam amigos e parentes e desejam entender melhor a morte:
http://www.espirito.org.br/portal/codificacao/le/le-2-03.html


Recebi a mensagem de uma visitante do nosso Blog e vou fazer comentários sobre a morte.

Meu filho faleceu de leucemia no último dia 20/09. Desde maio, minha familia e eu que somos católicos praticantes, acreditavamos na sua cura, através de arações, novenas e confiança, muita confiança no Poder de Deus… Não fomos atendidos? Sei que foi feita a vontade do pai, mas NÃO consigo resposta para de conforto, já que esta doença possui controle perante a medicina… Por favor, o que pensar. Confirmo, respeito a vontade de Deus… porem é doloroso demais esta perda. Deus os abençoem.

Muitas pessoas ficam até mesmo revoltadas quando fazem orações com muita fé pedindo pela saúde de um amigo ou parente e os pedidos não são atendidos. Na verdade se revoltar contra Deus quando perdemos um filho é um grande erro. E tudo se resolve quando mudamos a forma como vemos as coisas. Quando passamos a ver as coisas da forma correta.

A primeira coisa que precisamos entender é que nossos filhos não são nossos. Ter um filho significa receber de Deus a responsabilidade temporária de cuidar, amar e educar um ser que pertence a Deus.

Em segundo lugar precisamos entender que a verdadeira vida não é a vida terrena. A vida na Terra é uma situação transitória. Jesus falou sobre isto algumas vezes. A vida real, a felicidade real não pertence a este mundo. A vida na Terra é curta e transitória. A vida do nosso espirito é eterna. Todos nós estamos aqui cumprindo uma processo de aprendizagem que tem inicio, meio e fim. É como se matricular em uma escola sabendo que dentro de alguns anos terminaremos o curso e voltaremos para a nossa vida normal longe do universo escolar.

Em terceiro lugar precisamos entender que todos nós já nascemos e morremos inúmeras vezes. Em cada existência aprendemos alguma coisa de útil e subimos um degrau na escada que nos levará a pureza e perfeição do espirito. Esta não foi a única e não será a última existência do seu filho. Com certeza não é a primeira e nem a última vez que você verá seu filho pois vocês possuem toda a eternidade e inúmeras existências pela frente.

Na maioria das vezes morremos quando nossa missão nesta existência atual se encontra cumprida ou então quando sucumbimos a missão. Nos dois casos não existe mais razão para nossa permanência aqui. Deus felizmente nos poupa de viver desnecessariamente aprisionados dentro deste corpo material limitado sujeito a tantas dores e doenças. Vivemos até o momento em que nossa existência é útil para o nosso aprendizado ou para o aprendizado de terceiros. E assim que possível Deus nos liberta da vida da Terra e retornamos para a nossa verdadeira vida.

A dor que sentimos quando perdemos um parente é fruto de nossa falta de entendimento das coisas divinas. É fruto da educação que recebemos dentro da nossa sociedade. Dependendo da cultura e do povo a dor sentida em uma situação de morte pode ser maior, menor ou mesmo não existir. No máximo devemos sentir aquele mesmo sentimento de saudade que temos quando um parente nosso embarca em uma viagem que irá durar alguns anos. Precisamos ter a certeza que nossa existência é curta e em breve todos nós nos encontraremos inúmeras vezes.

Assista o vídeo com o depoimento de uma mãe que perdeu o filho e queria cometer o suicídio:

O livro dos espíritos é e distribuição livre, pode ser encontrado em qualquer livraria e também pode ser baixado na internet clicando aqui


O grande problema enfrentado pelas pessoas logo depois da morte é o sentimento de decepção. Quando vivos colocam na nossa cabeça diversas informações distorcidas ou falsas com relação a vida depois da morte.

 A maior delas é a idéia do descanso eterno. Da ociosidade por toda a eternidade. Férias para sempre. Muitos acreditam que a morte esta diretamente relacionada com descansar, ficar contemplando as belezas de um paraíso por toda eternidade sem nada para se preocupar, sem problemas para resolver, sem nada para fazer.

 Se você é uma destas pessoas que pensa desta forma… Tente mudar esta idéia da sua cabeça, pois as coisas não funcionam bem assim. Existe muito, mas muito trabalho depois da morte.

Vamos entender isso:

 Você é uma unidade de inteligência (espírito) criada em algum momento neste Universo como todas as coisas que nossos sentidos e instrumentos podem detectar, e as coisas que não podemos sentir ou detectar.

Da mesma forma que a matéria no principio do Universo era bruta e primitiva, seu espírito também foi criado como entidade bruta dotada da completa ignorância, mas com a capacidade de tomar decisões (livre arbítrio).

Animando um corpo físico, nascendo uma, duas, inúmeras vezes você tem a oportunidade de se lapidar. Sair da brutalidade e da ignorância (o que muitos chamam de mal) e mergulhar no conhecimento e na sabedoria (que muitos chamam de bem). Nacendo você esquece os erros passados e começa novamente para reparar erros passados ou aprender coisas novas. Se esta necessidade de aprimoramento individual não bastasse ainda existe a sua necessidade de ajudar seus afetos a evoluir junto com você.

 Que graça existe em atingir um estado supremo de sabedoria e por conseqüência atingir o estado de felicidade verdadeiro, se os teus amigos, parentes e as pessoas que você gosta ficaram para trás mergulhadas em todos os sofrimentos que a ignorância nos impõe? É como aquele cara que ganha na Mega Senna e não divida o prêmio com todos os familiares. Sem fazer isso a felicidade do novo milhonário com certeza não é completa. Uma fez conhecendo o que é bom é natural que queiramos mostrar aos outros o que conhecemos.

É impossível que algum espírito bom, justo, sábio se sinta verdadeiramente feliz, completamente feliz sabendo que existe algum outro espírito semelhante a ele em condição diferente. É impossível descansar em paz sabendo que existem bilhões de pessoas precisando de ajuda para chegar onde você chegou.

É por isso que nos livros psicografados por espíritos podemos ver claramente que quanto mais elevado é o grau de bondade, sabedoria e inteligência de um espírito maior é a sua consciência de que precisa trabalhar e ajudar para evolução da humanidade.

Felizmente alguns homens aqui na Terra (encarnados) compartilham do mesmo sentimento e acordam todos os dias com a real intenção de fazer alguma coisa para tornar a vida dos outros um pouco melhor. Normalmente são pessoas animadas por espíritos de grande elevação e capacidade de renuncia em prol da causa humana. 

Podemos citar o exemplo do próprio Jesus que foi o espírito mais elevado que já se aventurou a encarnar na Terra com o único objetivo de nos educar. Jesus trabalho duro aqui na Terra e com certeza NÃO ESTÁ sentado ociosamente em um trono a direita de Deus Pai assistindo o sofrimento Terreno. É certo que ele e todos os espíritos de grande elevação estejam em constante trabalho para influenciar o homem a seguir o caminho mais curto e menos sofrido até o estado pleno de sabedoria e felicidade. Quando digo influenciar é porque não podemos esquecer do danado do livre arbítrio. A liberdade que cada espírito tem é sagrada. Por isso só podemos mesmo receber influencias, ajuda e sugestões. A decisão sempre é de cada um.

O importante mesmo é saber que existe muito trabalho a ser feito. O trabalho é a principal força que move a humanidade para o progresso espiritual e moral. E quando você terminar o seu trabalho ai é que terá mais trabalho para fazer, pois estará ainda mais preparado a ajudar os que ficaram para trás. 


Neste vídeo Chico Xavier fala sobre a Cremação. Na década de 70 uma nova lei começou a ser proposta para permitir que os corpos pudessem ser cremados. No caso existe a recomendação de que o processo crematório só ocorra 72 h depois do falecimento. E que o corpo deve ser conservado em geladeira.

Isto provavelmente evita o problema comum de espíritos que demoram para se desligar totalmente do corpo. Como sabemos existem casos de pessoas que vão junto com o corpo para dentro da cova. No caso da cremação poderia ser possível que o espirito tivesse reflexos de dor ou mesmo tivesse o desprazer de presenciar o corpo sendo queimado.

Veja o vídeo:


No capítulo 1 e 2 do livro “Nosso Lar” escrito por Chico Xavier ditado pelo espírito André Luiz temos uma clara descrição do que é a região do Umbral que leigos conhecem como o Inferno. Veja a pena fazer o download do livro.

Do outro lado da vida temos um mundo muito semelhante ao que vivemos aqui na Terra atualmente. Do outro lado existem cidades, governos, casas, ruas, trabalho, florestas, rios, montanhas, plantas, animais. A principal diferença é que neste local as pessoas se agrupam junto com pessoas que pensam da mesma forma. Pessoas parecidas ou pessoas que tem afinidades, gostos, objetivos parecidos se agrupam em cidades, vilas, grandes regiões.

A mistura de pessoas que temos aqui na Terra não ocorre lá do outro lado. Em quanto vivemos em meio aos bons, maus, justos, injustos, perversos em uma mesma cidade ou bairro, lá do outro lado existe uma separação.

Perceba que esta separação de pessoas de acordo com sua personalidade não ocorre porque existe uma regra, uma norma, um mandamento. Ocorre simplesmente porque nós temos uma tendência natural de nos aproximarmos de quem é semelhante a nós e nos afastarmos de quem é diferente de nós.

Podemos ver isto acontecendo aqui na Terra em comunidades virtuais como o ORKUT. Veja que na Internet e especialmente no orkut as pessoas se unem com base nos seus gostos, afinidades, pensamentos formando grandes comunidades.

Lá do outro lado a coisa acontece exatamente da mesma forma.

Então tente imaginar como seria uma cidade que foi construída e é habitada por milhares de pessoas que tem em comum serem pessimistas, egoístas, orgulhosas, preguiçosas e que cultivam sentimentos como ódio, vingança, rancor, angustia. Fica fácil imaginar que uma cidade habitada apenas por este tipo de gente não seria um local agradável para viver. Certamente seria um local que muitos chamariam de inferno.

Agora imagine uma cidade construída e habitada apenas por pessoas generosas, otimistas, bondosas que cultivam sentimentos como amor, caridade, alegria e fé. Fica evidente que uma cidade cheia de pessoas assim com certeza seria bonita e organizada, um verdadeiro paraíso.

Do outro lado existe uma enorme quantidade de regiões e cidades habitadas por muitos grupos diferentes de pessoas que se combinam. A maioria vive feliz por estar junta de pessoas semelhantes. Um local ser classificado como bom ou ruim sempre vai depender do ponto de vista de quem avalia. Mas como assim?

Imagine uma pessoa viciada em sexo e cheia de perversões sexuais. Existem muitas pessoas que encontram no sexo e na perversão sexual o seu motivo para viver. Ao morrer estas pessoas se procuram, se encontram, se organizam, fundam vilas, cidades. Simplesmente migram para cidades já existentes onde todos só pensam exclusivamente em sexo e seus derivados. Do ponto de vista do pervertido uma cidade assim seria um verdadeiro paraíso. Este mesmo pervertido acharia um verdadeiro inferno se fosse obrigado a viver em uma cidade onde as pessoas não ligam para sexo.

Então podemos dizer que ninguém é obrigado a viver em um lugar ruim ou bom quando morrem. Você vai viver em um local cheio de pessoas iguais a você, que pensam como você, que vibram na mesma freqüência que você. Este negócio de frequência é interessante. Existem muitos livros psicografados que mostram que um espírito pode ser totalmente invisível para o outro dependendo de suas fibrações. Muitas vezes um espírito que se encontra em um nível mais avançado não consegue se comunicar com um espírito inferior simplesmente porque este é incapaz de perceber sua presença.

No caso do André Luiz. Ele viveu por 8 anos perambulando pelo Umbral perturbado com seus sentimentos negativos e seu orgulho. Somente depois de todo este tempo ele começou a refletir e perceber que precisava pedir ajuda. É neste momento que existiu a possibilidade de comunicação e de ajuda de um espírito superior que já acompanhava sua trajetória no Umbral.

Podemos comparar isto a uma pessoa drogada. No caso os sentimentos negativos seriam a droga que deixa sua mente dopada. Um drogado só pode ser ajudado e recuperado quando ele se conscientiza que precisa de ajuda. Quando ele se mostra disposto a aceitar e receber ajuda. Ninguém pode ajudar ninguém que não quer ser ajudado.

Muitas pessoas com pouca informação falam o seguinte “Como Deus permite que lugares ruins como o Umbral, inferno ou algo do tipo possam existir?” Na verdade o grande problema está no LIVRE ARBÍTRIO. Temos a total liberdade de escolher entre o bem e o mal, o certo e o errado, o bom e o ruim, a sabedoria e a ignorância. Temos total liberdade para construir nossas casas, nossas cidades, nossas leis, nossos governos. Temos total liberdade para nos unirmos a pessoas boas ou a pessoas ruins.

Então o UMBRAL não é uma criação de DEUS. Da mesma forma que DEUS não criou favelas, não deu preço para as coisas da Terra e nem criou o dinheiro. A sociedade em que vivemos e suas mazelas é criação nossa. Os lugares ruins e bons que existem na Terra e do outro lado da vida são criações nossas.


Infelizmente a gente pensa pouco no sentido da vida. Fica procurando sentidos complexos. Mas o sentido dela é bem simples:

É nascer, crescer, multiplicar e educar os filhos e depois morrer.
Então sua missão durante a vida na Terra é:

1) Ser um bom filho
2) Ser um bom homem
3) Ser um bom marido
4) Ser um bom pai
5) Ser um bom avô
Esta é a nossa missão. É simples de dizer e difícil de fazer.

Ai Jesus veio para a Terra justamente para dizer o seguinte:
Nasci para ser um exemplo de boa pessoa. Siga meu exemplo. Seguindo meu exemplo você NÃO será rico e muito menos poderoso. Sendo um homem bom como eu fui talvez você seja pobre, fraco e humilhado (veja o que Jesus sofreu fazendo o bem) Mas isto não importa porque a vida na Terra é passageira e a vida do outro lado é eterna. Não faça o bem esperando o bem em troca porque você só vai receber tapas na cara. A felicidade real não pertence a esta vida terrena. A felicidade e a vida verdadeira está do outro lado. E para passar por esta vida e chegar do outro lado feliz, você precisa aprender a ser um BOM HOMEM.

A Terra é uma escola e um campo de provas.

Estamos aqui para aprender e para passarmos por provas. Como somos livres (livre arbítrio) cada um escolhe se quer aprender no AMOR ou se quer aprender na DOR. Mas o importante é que das duas formas você aprende. A primeira é mais rápida. A segunda é lenta e sofrida.

Eu acredito na justiça divida. Por isto eu acredito que a vida é um processo cíclico igual a todos os processos que existem no Natureza criada por Deus.

Então eu acredito que não temos apenas UMA oportunidade… Temos muitas.

E como Jesus ensinou, precisamos aprender a ser boas pessoas para podemos sair desse ciclo da vida e morte terrena para que possamos finalmente atingirmos a VIDA ETERNA.


A morte um dia chegará para todos nós. Você esta preparado para o que vai acontecer? Muitos espiritos retornam para contar as situações vividas após a morte. Saiba como funciona mais este mecanismo da vida.

Para alguns morrer significa dormir e acordar entre amigos em um belo lugar. Para outros é um processo lento, doloroso, triste e que pode levar décadas para se concretizar.

A morte é um processo que só ocorre para o corpo orgânico. Este corpo formado de matéria, átomos, moléculas, células é parte física do planeta Terra e ao planeta retornará se transformando em material fértil para o solo.

Nosso espírito uma forma “energia inteligente” que da vida a massa orgânica que compõe nosso corpo. Esta energia mantém animada a matéria que nos compõe. Sem ela voltamos a ser matéria idêntica a terra, água e pedras existentes no solo.

Com a morte existe um desligamento do corpo físico da força energética que é o nosso espírito. Podemos chamar isto de desencarne. Este desencarnar é uma situação desagradável para aqueles que não estão preparados. Entender como isto funciona é muito simples e importante para evitar o sofrimento pela falta de conhecimento.

O seu sofrimento será maior quanto maior for o seu apego pelos objetos e coisas que te pertenciam no planeta. Entender isto é simples. Se você não tem mais corpo físico, então não pode mais usufruir do seu dinheiro, do seu poder, da beleza do seu corpo, dos prazeres do seu corpo, das suas jóias, do seu carro, da sua casa. Você se dará conta de que nada foi seu, nada teve em sua vida que fosse realmente seu. Você apenas estava usando as coisas que conquistou enquanto estava vivo. Depois de morto não pode levar estas coisas com você. Pouca importância e significado tem todas as coisas físicas que você conquistou em sua prevê vida na Terra diante de sua situação atual de eternidade do seu espírito. Não entender esta idéia tão simples gera muito sofrimento a muitos espíritos.

Existem situações em que o morto se recusa a abandonar a casa onde moravam. Fica perturbado e com raiva quando vê seus pertences sendo vendidos ou dados para seus familiares sem que ninguém o consultasse. Entender que nada temos é uma boa coisa a se fazer.

O sofrimento também será maior se você possuir apego exagerado pelas pessoas. Todos nós amamos nossos parentes, filhos, conjugue e amigos. É preciso entender que a morte não separa você dos demais por toda a eternidade. É preciso entender que a vida é um momento curto já que nosso espirito é eterno. Que significado tem 80 anos de vida se você é um ser eterno? Seus familiares também são eternos e em breve também morrerão e estarão no mundo espiritual como você. Por isto é preciso evitar o apego exagerado, o sentimento de saudade doentia.

Pessoas ciumentas sofrem muito pois não aceitam quando seus companheiros ou companheiras resolvem se unir a outras pessoas já que se encontram viúvas e desimpedidas quanto a isto. Um conselho muito dado pelos espíritos é que devemos evitar acompanhar nossos parentes depois que estamos mortos. Na maioria das vezes nada podemos fazer, e na verdade não devemos interferir em suas vidas.

O sofrimento na morte será maior quando temos raiva, ódio, rancor. São sentimentos que te deixa preso na Terra ou que te levam ao Umbral. É comum o caso de pessoas que morrem e ficam na Terra tentando atrapalhar a vida dos vivos. No final o maior prejudicado é você mesmo.

Quando se faz muito mal para as pessoas na Terra durante a vida as conseqüências podem ser trágicas durante a sua vida ou depois da sua morte.. Perceba que se não existe a morte o mal que você fez a outras pessoas não será esquecido e isso pode te gerar problemas algum dia. Por exemplo, se você fez mal a alguém, e este alguém morreu e não te perdoou, é possível que te persiga depois de morto. É possível que esteja presente na sua frente na hora em que você estiver morrendo. Os amigos do além das pessoas que você prejudicou em vida também podem estar dispostos a se vingar de você. Existem muitos relatos de pessoas que ao morrerem são raptadas por espíritos de baixa vibração que as levam para o Umbral para realizar torturas, humilhações e escravidão.

O sofrimento é maior quando estamos repletos de sentimentos de culpa pelo mal que fizemos em vida ou pelo bem que deixamos de fazer em vida. Muitas vezes o arrependimento vem tarde demais e estando morto pouco se pode fazer para reparar com os vivos o mal que foi feito. O sentimento de remorso tortura.

O sofrimento será maior quando não acreditamos em vida após a morte e na existência de Deus. Muitos são os casos de pessoas que morrem e seus espíritos continuam no corpo. Por acreditarem no NADA após a morte permanecem imóveis como se estivessem em sono profundo. Chegam a ser enterrados junto com o corpo, tamanha a ligação que os mantêm junto a carne. Infelizmente acabam sentindo o processo de decomposição como se ainda estivessem vivos em seu corpo. Sofrem de pesadelos por ouvirem tudo como se estivessem vivos. Ouvem as vozes de espíritos brincalhões que habitam os cemitérios para zombarem de espíritos que lá ficam se fingindo de mortos dentro de seus túmulos até um dia serem resgatados por forças do bem ou forças do mal.

Existem equipes de socorro que ajudam as pessoas que estão morrendo. Eles facilitam o processo de desligamento do corpo do espírito evitando qualquer sofrimento prolongado. Mas isto só ocorre quando a pessoa é merecedora e tem uma vibração espiritual positiva permitindo assim que a ajuda surta efeito. Existem relatos de postos localizados em hospitais, cemitérios e até mesmo em estradas e rodovias onde é comum a existência de acidentes fatais.

Espíritos maldosos possuem vibrações em sintonia com espíritos imperfeitos. Estes espíritos sombrios também podem ajudar a pessoa a se desencarnar se desligando do corpo. E fazem isto para se vingarem, para humilhar e maltratar nas cidades do Umbral.

Com estas idéias já da para perceber com seria ter uma boa morte. A boa morte ocorre com aqueles que fizeram o bem em quanto estiveram na Terra e por isto possuem muitos amigos. Os amigos e parentes que se foram são os primeiros a ajudar e orientar nos momentos depois da morte. Se você não tem apego às coisas materiais que deixou na Terra não sofrerá ao perceber que suas coisas não são mais suas. Se aceitar a existência do espírito, da vida após a morte e na existência de Deus não sofrerá por estar agora separado de seus amigos e parentes, pois saberá que a vida é uma passagem e em breve estará junto a eles. Também não terá problemas de ser enterrado vivo pois ao saber da vida após a morte procurará orientação e ajuda. Se você fez o bem para as pessoas na Terra certamente encontrará amigos e familiares destas pessoas do outro lado onde estes serão gratos pelo bem que fez. Você será um espírito querido, respeitado e ajudado nesta situação de mudança que é a passagem da vida para a morte, ou melhor, da vida para a verdadeira vida.

Um ponto importante ao se destacar.
Os espíritos não podem agilizar a morte das pessoas. O desligamento do espírito do corpo só pode ocorrer quando o corpo está sem qualquer possibilidade de manter a vida. Nesta situação os espíritos continuam ligados ao corpo de forma desnecessária e inútil. Para agilizar o desligamento é que existe a ajuda de espíritos socorristas. A técnica que possibilita o desligamento é conhecida por espíritos socorristas, por familiares e amigos desencarnados que estão presentes e que possuem o conhecimento, e por espiritos maldosos que podem possuir o conhecimento da técnica utilizada no processo.


Não existem muitas diferenças entre os mundos do além e os lugares que encontramos aqui na Terra. Da mesma forma que aqui na Terra, lá você encontra lugares bonitos e lugares feios, lugares agradáveis povoados por gente boa e lugares desagradáveis povoados pela pior espécie de pessoas.

Lá do outro lado as pessoas se reúnem de acordo com suas afinidades ou vibrações. Pessoas positivas, alegres, de boas vibrações viverão em uma colônia repleta de pessoas semelhantes . Uma pessoa má, negativa e pessimista se sentirá melhor em companhia de pessoas iguais e será levada a viver numa colônia construida e administrada por pessoas semelhantes. Existem casos em que os seus sentidos só funcionam diante de pessoas que vibram igual a você. Um espirito bom e de vibrações elevadas pode ser invisivel aos olhos de espiritos de baixa vibração.

E isso faz a diferença entre as diversas colônias e regiões do mundo espiritual. Não é dificil imaginar que deve haver diferenças entre um lugar criado e administrado por pessoas boas e por espirito elevado e um local administrado por pessoas ruins de espirito baixo.

Sobre todas as cidades do planeta Terra existem universos paralelos, regiões espirituais invisíveis para nossos sentidos limitados, indetectáveis a partir dos instrumentos e tecnologias que possuimos hoje. Sobre a cidade onde você mora certamente existem uma ou mais colônias habitadas por pessoas que não se encontram mais nesta dimensão onde vivemos.

As colônias são verdadeiras cidades de grande, medio ou pequeno porte. Não existe nada mágico, não é um mundo de fadas cheio de efeitos especiais. Tudo que temos aqui na Terra temos lá. Afinal de contas as cidades da Terra e as cidades do além foram construidas por nós mesmos. Desta forma são semelhantes. Lá você encontra casas, prédios, escolas, hospitais, praças, jardins, lagoas, rios, animais, fábricas, alimentos, máquinas, veículos para transporte, instituições governamentais, hierarquia. As colônias ocupam um área delimitada cercada por muralhas e sistema de proteção para evitar a invasão de espiritos vindos das regiões sombrias.

Sobre a cidade do Rio de Janeiro encontramos uma colônia chamada NOSSO LAR, a primeira descrita por um espirito chamado André Luiz. Na época em que o livro (na decada de 30) existiam mais de 1 milhão de almas que lá habitavam. Sobre a Cidade de São Paulo encontramos 3 grandes colônias. Existem referências sobre colonias localizadas na região de Brasilia e Ribeirão Preto/SP devido a sua beleza.

As colônias espirituais do Brasil foram criadas a pouco tempo tendo início com a colonização do país. Antes já existiam núcleos menores ocupados por indigenas. Existem colônias no oriente com milhares de anos de existência. As maiores e mais belas se localizam sobre a India e o Tibet. As colônias possuem intenso intercâmbio entre sí e com os postos de socorro que são locais subordinados a elas que se encontram em planos espirituais mais baixos (inclusive na Terra) para ajudar e resgatar almas perdidas nas regiões de sombra (Umbral).

Algumas colônias possuem Escolas de Regeneração e grandes Hospitais para onde são levados os espiritos resgatados em regiões do Umbral. Estas pessoas passam por ensinamentos e tratamento para se recuperarem dos problemas morais e sentimentos negativos que ainda as preendem em níveis mais baixos.


Os postos de socorro se encontram espalhados pelas regiões sombrias do Umbral. Este local de ajuda semelhante a um complexo hospitalar normalmente é vinculado a uma colônia de nível superior. Nele encontramos espíritos missionários vindos de regiões mais elevadas que trabalham na ajuda aos espíritos que vivem nas cidades e regiões do Umbral e que estão a procura de tratamento ou orientação.

Quando o espírito ajudado desperta para a necessidade de melhorar, crescer evoluir é levado para uma colônia onde será tratado e passará seu tempo estudando e realizando tarefas úteis para seu próximo. Quando se sentem incomodados e mergulhados em sentimentos como o ódio, vingança, revolta acabam retornando espontaneamente para os lugares de onde saíram. Continuamos sempre com nosso livre arbítrio.

Os postos de socorro não são cidades, mas alguns deles possuem grande dimensão se assemelhando a uma pequena cidade no meio do Umbral. Muitos ficam nas regiões periféricas do Umbral. Alguns se encontram dentro das cidades do Umbral.

Vistos a distância são pontos de luz e de beleza no meio da paisagem triste, escura, fria, nebulosa que compõem as paisagens naturais do Umbral. Os postos de socorro são locais bonitos, iluminados, com grandes jardins em meio a um cenário desolador e triste.

Os postos de socorro são constantemente procurados por pessoas desesperadas e perdidas no Umbral querendo abrigo e ajuda. Também é um local alvo de espíritos maldosos que desejam continuar mantendo o controle e o poder sobre as pessoas que moram nas regiões do Umbral. Com isto realizam constantes ataques as instalações dos postos.

Todos os postos possuem sofisticados sistemas de segurança que monitoram as regiões ao redor do posto. Sensores detectam a presença de vibrações em um raio de 3 km do posto. Sistemas de defesa que emitem descargas elétricas são utilizados para afastar os atacantes. Os choques gerados pela força os fazem recuar já que lhe fazem sentir dores insuportáveis.

Os espíritos que vivem no Umbral ainda estão ligados ao mundo material. Muitos sequer compreendem que estão mortos e isto lhe geram grande agonia e sofrimento. Por acreditarem estar vivos continuam sentindo seus corpos e suas necessidades físicas. Sentem dor, sentem fome, sentem sede, sono etc. Muitos sofrem de doenças, ferimentos, mutilações ocorridas na morte ou em situações sinistras vividas no Umbral.

A visão interna de um posto de socorro lembra um grande hospital. Os espíritos atendidos lembram monstros de um filme de terror. Se parecem realmente com mortos vivos. Sofrem movidos pelos sentimentos humanos que ainda cultivam o ódio, a vingança, egoísmo e outros sentimentos negativos. Vinculados à matéria ainda sofrem como se possuísse um corpo. E isto acaba se refletindo em sua aparência monstruosa que só pode ser modificada a partir da sua conscientização sobre sua realidade. As enfermarias dos postos estão sempre repletos de espíritos necessitados de orientação, alimento, limpeza e cuidados. É como ver mortos vivos agonizando por ajuda em seus leitos.

Equipes chamadas de Samaritanos realizam incursões no Umbral em busca de espíritos que procuram ajuda. Ao retornarem com dezenas de espíritos que mais parecem farrapos humanos são recebidos pelas equipes de socorro que iniciam o trabalho de acolhimento, alimentação, limpeza e orientação destes espíritos. Ao serem internados podem se recuperar para serem enviados para colônias no plano mais elevado, fora do Umbral. Também é comum que espíritos cheguem as muralhas dos postos a procura de ajuda e ali são socorridos.

Também existem postos de socorro na Terra. São destinados a socorrer e orientar espíritos recém desencarnados. Pessoas que acabam de morrer costumam ficar totalmente desorientadas. Muitas não sabem que estão mortas. É fácil imaginar o sentimento horrível e a loucura que uma pessoa nesta situação pode passar. Estes postos estão localizados no mundo invisível exatamente no mesmo local onde estão hospitais, cemitérios, sanatórios, presídios, igrejas, centros espíritas etc. São nestes locais onde se pode encontrar o espírito de pessoas que acabam de desencarnar ou que estão procurando algum tipo de ajuda.